Olá! Fale conosco no Whatsapp.

Blog

Lentes de contato com grau: tipos, indicação e cuidados diários.

Lentes de contato com grau: tipos, indicação e cuidados diários.

Lentes de contato com grau: tipos, indicação e cuidados diários.

25/05/21 - Notícias

A tecnologia das lentes de contato com grau evoluiu muito nos últimos anos e, hoje, já é possível utilizá-las para corrigir diferentes graus de refração.

O uso de lentes de contato com grau é mais confortável do que o uso de óculos, pois as lentes não prejudicam a mobilidade, permitem realizar exercícios com mais liberdade e também têm função estética, já que não interferem na aparência do paciente.

Se você usa óculos de grau para miopia, astigmatismo, hipermetropia ou presbiopia, veja neste texto se as lentes de contato são boas opções para você. Além disso, saiba todos os cuidados que você precisa ter para utilizá-las com segurança.

 

 

Quem pode usar lentes de contato com grau?

As lentes de contato com grau são indicadas para pacientes com erros de refração, que provocam os seguintes problemas de visão:

Miopia - visão turva de longe.
Hipermetropia - visão turva de perto.
Astigmatismo - visão turva a qualquer distância.
Presbiopia - vista cansada, comum após os 40 anos.
Para formar uma imagem nítida, os feixes de luz precisam atravessar a estrutura ocular e focar em um ponto no centro da retina. A retina é a estrutura responsável por transformar os estímulos luminosos em estímulos nervosos que formam a imagem no cérebro. Como no exemplo abaixo:

De forma resumida, os erros de refração ocorrem quando há alteração no formato da córnea ou quando o cristalino (lente natural do olho) fica menos flexível. Essas alterações desviam a luz do foco ideal, prejudicando a qualidade de visão.

 




Em muitos desses casos, as lentes de contato podem substituir o uso de óculos de grau. Entretanto, para casos mais complexos, a cirurgia ocular é a solução mais indicada.

 

Quando as lentes não são uma boa opção?

O uso de lentes de contato não é indicado para pacientes com síndrome do olho seco, infecções crônicas ou alergias oculares. Além disso, elas também não são recomendadas para pacientes idosos com baixa mobilidade ou dificuldades de memória, já que as limitações podem prejudicar o uso correto e seguro das lentes.

Para os casos citados acima, e também para aqueles pacientes que buscam um resultado mais duradouro ou têm uma estrutura ocular que não permite o uso de lentes, pode-se optar pelas seguintes cirurgias para corrigir os erros de refração:

Cirurgia refrativa a laser - o laser remodela o formato da córnea para ajustar o foco de luz na retina.
Cirurgia da presbiopia - além da correção com a cirurgia refrativa, outra solução cirúrgica é a remoção da lente natural do olho para realizar implante de lente intraocular multifocal (que se adapta a diferentes distâncias).
Implante de lentes artisan - diferente da multifocal, a lente artisan ou fácica não substitui o cristalino. Nesse caso, posiciona-se a lente entre a córnea e o cristalino para neutralizar os erros de refração. A indicação dessa cirurgia é para pacientes com córneas finas ou irregulares, além dos casos de alta miopia (-5,00 a -20,00) ou alta hipermetropia (+5,00 a +10,00).
O médico oftalmologista irá fazer uma avaliação completa da sua estrutura ocular para indicar a melhor solução para o seu problema.

 

Quais são os tipos de lentes de contato com grau?

A classificação das lentes varia conforme três características: material de produção, necessidade de correção e tempo de descarte. O médico oftalmologista irá indicar a combinação adequada para garantir o conforto do paciente e a correção eficaz do problema. Veja a seguir os tipos de lentes de contato.



Tipos de lentes por material:

Considerando o material de fabricação, as lentes de contato são de dois tipos: rígidas ou gelatinosas. Além disso, existe a lente de contato rígida gás permeável, que permite melhor oxigenação da córnea em comparação com as lentes rígidas tradicionais.

Sobre os benefícios dos materiais, vale dizer que as lentes rígidas têm uma durabilidade maior e garantem boa nitidez em graus mais altos. Enquanto as lentes gelatinosas são mais confortáveis e fáceis de manusear.




Tipos de lentes por problema de visão:

Dependendo do problema de visão, as lentes de contato podem ser tóricas ou multifocais. As lentes tóricas corrigem astigmatismo, miopia e hipermetropia. Enquanto as lentes multifocais são ideais para pessoas que sofrem com a presbiopia (visão embaçada pela perda da flexibilidade do cristalino).

Além disso, existem as lentes de contato estéticas (pigmentadas), usadas para modificar a cor dos olhos, e as lentes de contato terapêuticas, que reduzem a dor e ajudam na recuperação após tratamentos e cirurgias.




Tipos de lentes por tempo de descarte:

As lentes de contato podem ser de descarte diário ou de troca programada (quinzenal, mensal ou anual).

Lentes de uso diário: são lentes bastante flexíveis, descartadas após 24h de uso. São indicadas, por exemplo, para quem quer interromper o uso de óculos em ocasiões especiais, para quem está se adaptando ao uso de lentes ou para pessoas que possuem olhos sensíveis a agentes contaminantes. Nesse último caso, são ideais porque o descarte diário reduz a necessidade de cuidados com higienização das lentes.

Lentes de troca programada: são lentes mais resistentes e que precisam de um maior cuidado ao guardar e higienizar. A troca ocorre de acordo com a recomendação do oftalmologista e pode ser a cada 15 dias, a cada 30 dias ou uma vez ao ano.




Quais cuidados devo ter para usar lentes de contato?

Se você pretende trocar os óculos de grau por lentes de contato, deve ficar atento aos cuidados com manuseio, troca e higienização. Esses 3 fatores são muito importantes para garantir uma boa qualidade de visão e segurança para a sua saúde ocular. Veja a seguir os principais cuidados com as lentes de contato.




Higienização das lentes de contato.

Logo após a remoção, coloque as lentes na palma da mão.
Despeje a solução de limpeza até cobrir as lentes e esfregue com cuidado, usando as pontas dos dedos.
Retire a solução de limpeza e enxague com a solução adequada.
Guarde as lentes no estojo limpo e com a solução multiuso.



Posso dormir com as lentes de contato?

Não, você não deve dormir usando as lentes de contato. Entenda o motivo:

Durante o dia, você pisca inúmeras vezes, e isso garante a boa lubrificação e oxigenação dos olhos mesmo na região coberta pela lente. Entretanto, quando está dormindo, o movimento dos olhos não é suficiente para fazer essa função. Por isso, dormir com as lentes de contato pode ocasionar irritação, inflamações, olho seco, vermelhidão, úlceras e outras lesões oculares.




De quanto em quanto tempo devo trocar as lentes de contato?

Você deve trocar as lentes de contato na frequência indicada pelo oftalmologista, de acordo com o tipo de lente escolhida. Não use lentes fora do prazo de validade, pois elas podem causar infecções na córnea e até levar à cegueira em casos mais graves.

Além disso, sempre procure o seu oftalmologista se sentir desconforto ou irritação nos olhos, mesmo que as lentes estejam no prazo de validade. Em alguns casos, a vida útil da lente pode ser reduzida pela exposição a cosméticos, poluição ou ambientes com ar-condicionado.



Por fim, vale ressaltar que cada paciente possui uma estrutura ocular única. Só o médico oftalmologista poderá indicar a melhor opção de lente para o paciente, levando em conta formato, sensibilidade e necessidade ocular. Por isso, não compre lentes sem a indicação de um médico.

Lembre-se que o uso de lentes de contato exige disciplina, pois a higienização e manuseio errados prejudicam a visão. Além disso, a cirurgia ocular é uma solução mais complexa e durável, portanto pode ser mais vantajosa e econômica a longo prazo em alguns casos.

Está pensando em trocar os óculos de grau por lentes de contato? Consulte um oftalmologista de confiança e siga todos os cuidados para preservar a sua visão.



De Martini Oftalmologia - Sempre há mais para ser visto